Federação Pró Costa Atlântica

Audiência pública discute ocupação desordenada em São Sebastião

Repercussao

Muitas das praias da costa sul do município de São Sebastião, como Juqueí, Camburi, Maresias e Barra do Sahy são consideradas por muita gente o trecho do litoral paulista mais bonito e badalado. O que nem todo mundo sabe, no entanto, é que essa mesma região vem sofrendo com um problema muito sério: a ocupação desorganizada, que traz como consequências a devastação da Mata Atlântica e falta de infra-estrutura básica para a população.

Para debater essas questões e tentar achar soluções para elas, será realizada na próxima sexta-feira, dia 1º de julho,a Audiência Pública SOS São Sebastião, que terá como como convidados o prefeito da cidade, Ernane Primazzi, o chefe do programa da Secretaria de Habitação de São Sebastião, Fernando Chucker, e Lair Krahenbuhl, ex-secretário de Habitação do Estado de São Paulo, além de outras autoridades – a presença dos moradores e também dos veranistas que têm casa na região é mais do que bem-vinda.

Para entender melhor o que está acontecendo, entrevistamos Sérgio Pereira de Souza, que é presidente da Federação Pró Costa Atlântica, que reúne 18 associações de defesa das praias da costa sul de São Sebastião. Souza explicou que o principal objetivo da audiência é comprovar, por meio de fotos obtidas via monitoramento aéreo semanal dessas áreas, que o problema é mesmo sério.

O desmate, segundo ele, tem ocorrido principalmente por duas causas: a especulação imobiliária irregular, em geral feita por empresas pequenas e não comprometidas com as causas ambientais, e pela falta de uma política habitacional para acomodar pessoas que vem de outras regiões para trabalhar na construção civil. “Não queremos apontar culpados, mas sim discutir o que se pode fazer para aumentar a fiscalização e saber qual a melhor forma de se resolver esses problemas”, explicou Souza.

Há, inclusive, falta de entendimento dentro do poder público. A prefeitura local queixa-se que 85% do município é área de Parque Estadual, e que portanto falta fiscalização por parte do estado. A fiscalização ambiental no município de São Sebastião fica a cargo da Secretaria do Meio Ambiente, que não possui veículos em número adequado, tampouco muitos fiscais, não tem equipamentos, e a atual gestão reduziu pela metade o recurso da pasta para o ano.

A previsão da Federação é que, se falta de infra-estrutura permanecer assim, em cinco anos as praias da costa sul do município (de Boracéia a Baraqueçaba) estarão poluídas e com problemas sérios de segurança. Portanto, se você se importa em preservar as mais belas praias do litoral de São Paulo para continuar desfrutando delas, não deixe de comparecer à audiência. Confira as informações abaixo:

Serviço

Audiência Pública SOS São Sebastião

Imprensa

Artigos

É preciso mudar!

Devemos fazer uma reflexão sobre as eleições em São Sebastião. Eu, pelo menos, quero fazê-la. Em primeiro lugar,...

CONTINUA

Deus é Sebastianense

Continuo achando que Deus é sebastianense. Morros desabaram por tudo quanto foi canto, tragédias enormes se abateram s...

CONTINUA

PARCEIROS